Economia circular

O modelo econômico ‘extrair, produzir, desperdiçar’ da atualidade está atingindo seus limites físicos. A economia circular é uma alternativa atraente que busca redefinir a noção de crescimento, com foco em benefícios para toda a sociedade. Isto envolve dissociar a atividade econômica do consumo de recursos finitos, e eliminar resíduos do sistema por princípio. Apoiada por uma transição para fontes de energia renovável, o modelo circular constrói capital econômico, natural e social. Ele se baseia em três princípios:

· Eliminar resíduos e poluição desde o princípio

· Manter produtos e materiais em uso

· Regenerar sistemas naturais

Elementos Básicos

Através do seu trabalho com organizações que estão transitando para uma economia circular e uma análise de estudos de caso, a Fundação identificou quatro blocos de construção essenciais de uma economia circular.

1. Design de economia circular

Empresas precisam desenvolver competências de design circular para facilitar o reuso, a reciclagem e o aproveitamento de produtos em múltiplos ciclos. O design de produtos (e processos) circulares requer habilidades, conjuntos de informação e métodos de trabalho avançados. Áreas importantes para o design circular economicamente atraente incluem: seleção de materiais, componentes padronizados, produtos projetados para durabilidade, um design que facilite a separação ou reuso de produtos e materiais, e critérios de design para fabricação que considerem possíveis aplicações de coprodutos e resíduos.

Explore o Circular Design Guide (Guia de design circular), desenvolvido em colaboração com a IDEO, que oferece metodologias de inovação circular além de entrevistas com designers, exercícios de criação, estudos de caso e links para ferramentas técnicas.

2. Novos modelos de negócio

A transição para uma economia circular requer modelos de negócio inovadores que substituam os existentes ou ajudem a capturar novas oportunidades. Empresas detentoras de uma fatia significativa do mercado e com capacidade de ativação em diversos estágios verticais da cadeia de valor linear podem desempenhar um papel importante na inovação de economia circular, além de tornar a circularidade lugar comum ao aproveitar a sua escala e integração vertical. Ainda que diversos modelos, materiais e produtos novos sejam esperados vindo de empreendedores, essas marcas e líderes em volume também podem desempenhar um papel crítico. Modelos de negócio e iniciativas rentáveis de economia circular podem inspirar outros atores, sendo copiados e expandidos geograficamente.

3. Ciclos reversos

Habilidades adicionais e mesmo novas serão necessárias para o aproveitamento em múltiplos ciclos e o retorno final de materiais ao solo ou ao sistema de produção industrial. Isso envolve logística da cadeia de entrega, separação, armazenamento, gestão de risco, geração de energia, e até mesmo biologia molecular e química orgânica de polímeros. Com uma coleta e sistemas de tratamento melhores e menos custosos, e a segmentação efetiva de produtos em fim de vida útil, o vazamento de materiais para fora do sistema será reduzido, reforçando o racional econômico do design circular.

4. Condições viabilizadoras e condições sistêmicas favoráveis

Para que o reuso de materiais e uma maior produtividade de recursos se tornem lugar comum, mecanismos de mercado deverão desempenhar um papel central, com o apoio de políticas públicas, instituições de ensino e formadores de opinião. Essas condições viabilizadoras incluem:

  • Colaboração
  • Revisão de incentivos
  • Estabelecimento de regras ambientais internacionais adequadas
  • Liderança por exemplo e com foco em escala e agilidade
  • Acesso a financiamento

We have detected that you are using an older browser. Please update to the latest version of Google Chrome, Mozilla Firefox or Microsoft Edge to improve your user experience.

If you are unable to upgrade your browser, please see our Technical FAQ page to get tips on how to improve your user experience.