Notícias

O Chile anuncia suas metas para o Pacto do Plástico

Chile Plastic Pact

3 de julho de 2019

O Pacto do Plástico Chileno está anunciando hoje suas metas. A iniciativa, que agora assume o nome oficial 'Circula el Plástico', tem como objetivo mobilizar um número crescente de participantes no país e seu progresso será reportado anualmente. Essa iniciativa nacional reunirá empresas, governos e ONGs locais para trabalhar rumo a uma economia circular do plástico, em que os plásticos nunca se tornem resíduo.

Em alinhamento com outras iniciativas nacionais da rede de Pactos do Plástico, o Pacto do Plástico Chileno trabalhará em direção às seguintes metas:

  • Eliminar embalagens plásticas de uso único desnecessárias e problemáticas através do redesenho e da inovação
  • 100% das embalagens plásticas sejam reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis
  • Garantir que 1/3 das embalagens plásticas sejam efetivamente reutilizadas, coletadas e recicladas
  • 25% de conteúdo reciclado em embalagens plásticas

O Pacto do Plástico Chileno

O Pacto do Plástico Chileno é liderado pela Fundación Chile e está trabalhando com Amcro, Nestlé, Unilever, The Coca-Cola Company, Soprole, Mall Plaza e Resiter, além de organizações públicas como o Ministério do Meio Ambiente, o Ministédio da Economia, a Corporação de Fomento à Produção (CORFO) e a Agência de Mudança Climática, a Associação de Municípios para a Sustentabilidade Ambiental (AMUSA), a Organização de Responsabilidade Estendida do Produtor (SIG) e a organização sem fins lucrativos Plastic Oceans.

Em abril de 2019, o Pacto Chileno de los Plásticos se tornou o primeiro Pacto do Plástico latino americano a integrar a rede de Pactos do Plástico. O Pacto do Plástico Chileno foi anunciado pelo Ministério do Meio Ambiente e a corporação sem fins lucrativos Fundación Chile.

O Pacto do Plástico Chileno é a terceira iniciativa nacional a integrar a rede de Pactos do Plástico da Fundação. Seu anúncio seguiu o lançamento do Pacto Nacional Francês de Embalagens Plásticas, em fevereiro, e do The UK Plastics Pact há menos de um ano.

Sander Defruyt, Líder da iniciativa Nova Economia do Plástico, disse:

"O governo do Chile assumiu uma posição de liderança em outubro passado, estando entre os primeiros governos a assinarem o Compromisso Global por uma Nova Economia do Plástico. Agora estamos ansiosos para trabalhar com o governo e a indústria no Chile para conduzir mudanças efetivas rumo a uma economia circular do plástico. A Ellen MacArthur Foundation recebe com entusiasmo o lançamento do Pacto do Plástico Chileno e a futura colaboração em sua rede global de Pactos do Plástico. "

Luísa Santiago, Líder da Ellen MacArthur Foundation para a América Latina, disse:

“A poluição por plásticos é o resultado de um sistema falho que segue a lógica de extrair, transformar e descartar. Precisamos mudar o sistema e para isso é necessário que empresas, governos, organizações e cidadãos ao redor do mundo trabalhem juntos.

É com prazer, portanto, que recebemos em nossa rede global de Pactos do Plástico o Pacto do Plástico Chileno, que irá liderar os esforços em direção a uma economia circular do plástico na América Latina. Ao empoderar novos níveis de colaboração e inovação, nós podemos repensar a nossa forma de produzir, usar e reutilizar os plásticos, não apenas endereçando questões ambientais urgentes mas também capturando oportunidades econômicas enormes.”

Carolina Schmidt, Ministra do Meio Ambiente do Chile, disse:

“Estima-se que 8 milhões de toneladas de plástico cheguem aos oceanos a cada ano e que 70% permaneça no fundo do mar, poluindo severamente os nossos ecossistemas. Como país, nós demos o primeiro passo ao proibir a entrega de sacolas plásticas nos mercados, mas agora precisamos ir além, trabalhando com todos os atores relevantes para enfrentar esse problema e buscar soluções que nos permitam viver em um país mais limpo e sustentável.”

Andrés Pesce, VP de Novos Negócios e Investimentos da Fundación Chile, disse:

“Nós precisamos gerar uma lógica circular para o caminho adiante. O Pacto do Plástico Chileno está alinhado com essa visão, em que o crescimento econômico é dissociado do uso de recursos finitos e dos danos ao nosso meio ambiente. Também faz parte da rede internacional de Pactos do Plástico da Ellen MacArthur Foundation, que é absolutamente crucial para atingir o impacto coletivo de que precisamos para mudar a história.”

O Pacto do Plástico Chileno é liderado pela Fundación Chile e o Ministério do Meio Ambiente e faz parte da rede global de Pactos do Plástico da Ellen MacArthur Foundation, trabalhando rumo à visão de uma economia circular do plástico. As opiniões expressadas e os materiais disponibilizados pela Fundación Chile, o Ministério do Meio Ambiente ou os signatários do Pacto do Plástico Chileno não refletem necessariamente a visão da Ellen MacArthur Foundation e a Ellen MacArthur Foundation não se responsabiliza por tal.

Cidades e empresas líderes unem forças em nova iniciativa de Alimentos da Ellen MacArthur Foundation

Iniciativa De Alimentos 01 01

12 de junho de 2019

A iniciativa pioneira ajudará a criar uma economia circular dos alimentos.

Hoje no EAT Forum, em Estocolmo, a Ellen MacArthur Foundation anunciou que trabalhará ao longo de três anos com uma comunidade de cidades participantes, além de empresas como Danone, Mizkan, Nestlé, Novamont, Veolia e Yara, para desenvolver soluções de economia circular que enderecem os problemas do atual sistema alimentar. Em três Cidades Emblemáticas - Londres, Nova Iorque e São Paulo - a Fundação irá liderar importantes projetos relacionados ao sistema alimentar para demonstrar como a visão de uma economia circular dos alimentos pode ser alcançada em grande escala. Essa é a primeira vez que cidades e empresas se reúnem dessa forma. A iniciativa de três anos de duração é apoiada pela Parceira Filantrópica Calouste Gulbenkian Foundation.

A produção de alimentos é responsável por quase um quarto das emissões globais de gases de efeito estufa e a fertilização mal administrada intensifica a poluição atmosférica, contamina o solo e as fontes hídricas. Esses fatores e outros, também associados ao atual sistema alimentar, fazem com que os consumidores estejam expostos a riscos mesmo quando tentam fazer escolhas saudáveis.

Dr Clementine Schouteden, líder da iniciativa de Alimentos da Ellen MacArthur Foundation: “Ao unirem forças, as cidades, assim como empresas e pessoas dentro delas, podem transformar o sistema alimentar global. Nós poderíamos cultivar alimentos de formas que beneficiem os ecossistemas em vez de prejudicá-los. Os alimentos seriam adquiridos localmente, quando fizesse sentido, e nós os aproveitaríamos ao máximo, evitando o desperdício de alimentos próprios para consumo e usando coprodutos orgânicos para aprimorar a saúde do solo. Trata-se de uma oportunidade única para criar um sistema que ajude a enfrentar a crise climática, restaure a biodiversidade, melhore a saúde humana e reconecte as pessoas aos seus alimentos, além de criar novas oportunidades de negócio.”

Conforme descrito no relatório Cidades e Economia Circular dos Alimentos, os benefícios de transitar para uma economia circular dos alimentos incluem uma redução anual das emissões de gases de efeito estufa de 4.3 bilhões de toneladas de CO2, equivalente e a retirar um bilhão de carros de circulação permanentemente, e uma degradação de 15 milhões de hectares de terra arável evitada a cada ano. Outros possíveis benefícios incluem uma redução significativa da resistência antimicrobiana, poluição atmosférica, contaminação da água e doenças alimentares. As cidades podem destravar uma oportunidade USD 700 bilhões ao reduzir o desperdício de alimentos próprios para consumo e aproveitar coprodutos e resíduos orgânicos em ciclos.

Luísa Santiago, líder da Ellen MacArthur Foundation na América Latina: “A economia circular oferece uma visão clara para direcionar os esforços de cidades ao redor do mundo para construir um sistema alimentar regenerativo com amplos benefícios para a saúde das pessoas e dos ecossistemas e grandes oportunidades de negócio. Com sua rica biodiversidade e altas taxas de urbanização, as cidades latinoamericanas terão um papel fundamental nessa transformação global, seguindo a liderança da cidade de São Paulo e as demais Cidades Emblemáticas.”

Bruno Covas, Prefeito de São Paulo: “Estamos fortemente comprometidos com a garantia de alimentos de qualidade para todos os paulistanos e promoção de políticas de desenvolvimento sustentável. A cidade de São Paulo enxerga a economia circular como uma alternativa viável ao desperdício e à poluição do atual sistema alimentar. Estamos trabalhando em iniciativas para combater o desperdício de alimentos, fornecer alimentos saudáveis para populações vulneráveis e ampliar o acesso a canais de distribuição. Temos certeza de que através desta iniciativa de Alimentos, e cooperação com as outras Cidades Emblemáticas, poderemos contribuir significativamente para criar uma economia circular dos alimentos.”

A iniciativa Cidades e Economia Circular dos Alimentos está com inscrições abertas para seu programa de Cidades Emblemáticas

Flagship Cities Emf News Item

A iniciativa Cidades e Economia Circular dos Alimentos convida prefeituras e autoridades municipais a se tornarem a primeira Cidade Emblemática para uma economia circular dos alimentos. O programa de Cidades Emblemáticas pretende colaborar com até três cidades ao redor do mundo em uma jornada de três anos para desenvolver uma economia circular dos alimentos.

O programa demonstra como a visão descrita no relatório Cidades e Economia Circular dos Alimentos pode se tornar realidade em diferentes localidades. Trabalhando com autoridades municipais e organizações públicas e privadas, a ambição é transformar os setores de alimentos e resíduos orgânicos nas cidades em referências globais. Prefeituras, empresas de alimentos locais e globais e gestores de resíduos serão reunidos para trabalhar juntos de forma inédita e conduzir mudanças de verdadeiramente sistêmicas.

Através de seus projetos demonstrativos, as Cidades Emblemáticas irão inspirar cidades ao redor do mundo a embarcarem na jornada para um sistema global de alimentos regenerativo, criando sistemas alimentares urbanos mais saudáveis e inclusivos.

Nós encorajamos as prefeituras e autoridades municipais interessadas em se tornar uma Cidade Emblemática a consultarem a Inscrição para o Programa de Cidades Emblemáticas e seus termos e condições* para saber mais sobre o programa. Candidaturas completas devem ser submetidas até quarta-feira, dia 1o de maio de 2019.

*Versões traduzidas dos documentos estão disponíveis para download abaixo, a fim de facilitar o entendimento. Entretanto, havendo qualquer divergência na interpretação da versão traduzida e a original em inglês, a versão original prevalecerá. A inscrição no programa e materiais de apoio devem ser enviados em inglês.

Title
Size

We have detected that you are using an older browser. Please update to the latest version of Google Chrome, Mozilla Firefox or Microsoft Edge to improve your user experience.

If you are unable to upgrade your browser, please see our Technical FAQ page to get tips on how to improve your user experience.