Construindo um sistema alimentar saudável e resiliente

June 22, 2020
0 J0Vfc I6 Hivctpc2 K

"Surge uma proposta de longo prazo: uma economia circular dos alimentos que ofereça maior resiliência à sociedade e à economia diante de choques futuros, incluindo os riscos para a saúde e o clima."

A pandemia da Covid-19 afetou nosso sistema alimentar de forma desigual, revelando suas fraquezas estruturais, sua rigidez e potencial de ruptura. O novo artigo da Fundação, Construindo um sistema alimentar saudável e resiliente pede por estratégias de longo prazo.

Embora as indústrias da construção, de automóveis e de turismo tenham enfrentado níveis de perdas financeiras nunca antes experimentados, o artigo salienta que, comparativamente, os setores da agricultura e do comércio varejista têm resistido melhor à crise, uma vez que as pessoas deram prioridade às despesas com alimentos.

No entanto, também revela que as cadeias de suprimento de alimentos têm sido imensamente afetadas pela queda no hábito de comer fora de casa, decorrente dos bloqueios impostos pelo governo. Para exemplificar, produtores nos EUA que tiveram de destruir as suas culturas enquanto filas cada vez mais longas se formavam fora dos bancos alimentares. Enquanto países como o Cazaquistão proibiram as exportações de trigo e farinha para proteger o abastecimento doméstico, outros - França, Alemanha, Reino Unido - incentivaram seus cidadãos a ajudar os agricultores nas suas colheitas para substituir os trabalhadores estrangeiros que não puderam viajar devido aos controles fronteiriços.

Ilustrando estas vulnerabilidades, Construindo um sistema alimentar saudável e resiliente também detalha algumas das tendências mais positivas que têm potencial para transição, como a maior atenção dos consumidores à origem de seus alimentos e de como são produzidos e o aumento nas vendas de alimentos orgânicos.

Os sistemas de produção locais e de pequena escala estão ganhando muita força dos governos e das agências internacionais. O artigo destaca medidas ambiciosas, como a estratégia Farm to Fork, lançada pela União Europeia em 20 de maio, com a visão de conciliar as metas climáticas e de biodiversidade com as metas de nutrição.

A pandemia de Covid-19 destacou a importância da segurança alimentar para as nossas vidas e meios de subsistência; evidenciou os laços estreitos entre os sistemas humano e natural; levou a inúmeros apelos para repensar o nosso sistema alimentar. Este artigo explora plenamente como as estratégias de economia circular ajudariam a criar resiliência em todos os níveis e por que a transição para uma economia circular dos alimentos proporcionaria resultados positivos para o ambiente, a saúde humana e a biodiversidade, bem como contribuiria significativamente para a luta contra as mudanças climáticas.

Leia o artigo completo em inglês em nossa página Circulate News e saiba mais sobre alimentos e cidades na seção Iniciativa de Alimentos em nosso site.

Retornar a notícias >>

We have detected that you are using an older browser. Please update to the latest version of Google Chrome, Mozilla Firefox or Microsoft Edge to improve your user experience.

If you are unable to upgrade your browser, please see our Technical FAQ page to get tips on how to improve your user experience.